Neneco e Palermo costumam se preparar para o Coral, depois de saírem da escola. É no coral que aprendem muitas coisas sobre a vida na aldeia. Os cantos entoados pelos Guarani Mbya em seus corais estão relacionados aos momentos ritualísticos que vivem em cada momento de suas  vidas. A presença das crianças é marcante pois geralmente são encontradas em cada canto das aldeias, em todos os espaços executando as mais diversas atividades, e uma destas é o aprendizado de aspectos ritualísticos, em geral empreendidos ao anoitecer. quando os adultos também realizam seus rituais tradicionais. A participação das crianças em todos os aspectos da vida social Guarani, tem demonstrado seu papel como sujeitos sociais plenos e produtores de sociabilidade e cultura. No coral, as crianças aprendem sobre as tarefas cotidianas, e se conectam com as crenças e a forma Guarani de ver o mundo. Como no Coral Guarani Tekove Marae, da Aldeia Jataity, localizada no município Recanto Barra do Sul – SC.

Baixar vídeo

Nos corais, as kyringué (crianças) Guarani Mbya aprendem a cantar, dançar, e confeccionar seus instrumentos musicais. Isto ocorre através da coleta de materiais na mata da tekoá (espaço onde os Guarani Mbya mantem seu modo de ser), de forma que as crianças aprendem sobre o ambiente que vivem, através das atividades desenvolvidas no coral. Aprendem também a cantar e a tocar instrumentos musicais com os mais velhos no coral, tocando tambor (angu’apu) e chocalho (mbaraka Mirim). As crianças também aprendem com as outras que já tocam no grupo, que ensinam os mais novo que estão aprendendo.

 

Baixar vídeo

Assim, as crianças formam vínculos e relações específicas entre si, criando uma dinâmica social a parte dentro das aldeias. Isso demonstra como são importantes atores sociais, não aprendendo somente com os adultos, mas também com outras crianças e jovens com os quais dividem seu tempo, brincadeiras e aprendizagens. As crianças que sabem o ritmo a ser produzido com os instrumentos e os cantos entoados “puxam” o cântico, e as outras acompanham toda a movimentação efetuada por este grupo, resultando na aprendizagem pela observação, e pela participação e afirmação cultural que estes eventos promovem.

Baixar vídeo

Através das músicas, os Guarani Mbya aprendem desde cedo por que estão na situação em que se encontram, sem terras e com  dificuldades ambientais para manter seu modo de ser. Assim, vão fortalecendo a consciência de luta, denunciando a violência sofrida, através de suas letras. As canções no coral podem dar início a uma futura militância por parte das crianças, preparando-as para atuar como lideranças que reivindicam seus direitos, e como xondaros e xondarias que protegem a tekoá (espaço onde os Guarani vivem seu modo de ser).

Baixar vídeo

Para receber os parentes de outras aldeias, os corais das aldeias Guarani Mbya entoam canções, liderados pelo karaí (liderança espiritual). As canções lembram aos que chegam que foram os Nhanderú que os guiaram até ali. Através das canções do coral, as crianças vão aprendendo os laços de sociabilidade que permeiam as comunidades Guarani, de modo a imergir no mbya reko (modo de ser Guarani Mbya), para dar sentido à coletividade em que vivem. As histórias contadas pelos mais velhos também são formas de aprendizado em que as crianças aprendem a participar do coletivo. Tanto através das histórias, como das músicas, as crianças aprendem, e vão criando laços entre elas, ensinando umas às outras. Criam assim, relações próprias de aprendizagem entre elas, sem haver hierarquias entre os saberes das crianças e os dos adultos…

Baixar vídeo

Voltar