Um dos motivos pelos quais os povos Guarani não tem seus direitos territoriais respeitados, é o desconhecimento da relação que eles mantem com o ambiente. O artigo 231 da Constituição brasileira garante os direitos originários sobre as terras que os povos indígenas  tradicionalmente ocupam. Direitos originários à terra significam as garantias legais do uso de certa porção de terras por culturas que não lidam com o território como propriedade. Isto se aplica a várias comunidades indígenas, que atribuem significados religiosos à natureza, baseando sua organização no uso coletivo da terra, e na importância sagrada atribuída a ela. O Coletivo de Cinema Mbya-Guarani, através do documentário “Mokoi Tekoá Petei Jeguatá – Duas aldeias, uma caminhada” (2008), defende o respeito aos direitos originários indígenas, analisando a concepção territorial dos povos Guarani Mbya, que buscam viver em locais com condições para o desenvolvimento da vivência coletiva e espiritual de seus territórios. Analise um trecho:

<

Baixar vídeo

Os povos Guarani Mbya não concordaram com as fronteiras, as cercas, os limites territoriais… A terra é um espaço para se viver, e para manter viva. As relações dos Guarani Mbya com o ambiente é de troca, buscando o equilíbrio, em ecossistemas específicos para viver. Porém, a formação dos países pelos juruá não busca este equilíbrio, e não respeitou o Mbya reko (modo de ser Guarani Mbya)…

Baixar vídeo

 

Voltar